quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Oh! corvo amarelo..."Responda a meu anelo, me leve para longe daqui!"



Meu coração pulsa lentamente...
Foi-se o riso, o canto, o amor.
Quem aliviará minha dor?
Quem enxugará minhas lagrimas?
Ninguém me ensinou deixar de amar,
Ninguém me ensinou a orar
Pedindo prá você voltar...

domingo, 26 de dezembro de 2010

"Estou aqui, tentando olhar no espelho e ver o rosto de alguém feliz. Finjo ser o que não sou, mas, tudo acabou"




No principio foi uma paisagem que eu pintei
Tornou-se cinzenta com a distancia, quando parti
Neste trem que não para em nenhuma estação.

Fugi da dor no caminho achou-me no destino,
Da jornada que tenho que seguir sem você...

Sente a força, o poder que está diante ti,
Usa-o com punho de ferro, a bel prazer...
O tempo mostrará insano. (tarde demais.)
Do tudo que é amanha terá saudades...
Uma máscara hoje e amanha a verdade...

Entreguei-me às máscaras que a vida me impôs,
Quanto à simplicidade, viver só, a paz, a dignidade...

Não quero glamour, quero companhia do o rio, do mar
Um trato de terra na imensidão. Quero sensibilidade...

Ficará a falta que você me faz...
Mas, cansei das máscaras, quero a verdade, quero Deus.
Na solidão Ele não me abandonará certa é Sua companhia.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

“Começou como um sentimento, que então cresceu em uma esperança, que se tornou então um pensamento quieto, que se tornou uma palavra quieta, e essa palavra cresceu mais e mais até se tornar um grito de guerra: Eu voltarei quando você me chamar, não há por que se despedir.”




Contei os dias do ano procurando momentos
Momentos vividos, tristes, alegres, prazerosos
Só o silencio solene da tua ausência ressoava.

Por dias a fio gravei em palavras sólidas
Que Jorravam como fontes de águas vivas
Inundando colinas e vales verdejantes.

Em enormes troncos escrevi seu nome
Memória dos momentos compartilhados
Em extensas planícies que avultam em colinas.

Só teu perfume permanece com as flores...

Passiva sombra descansa errante
Nenhum poeta se atreveu descrever
A historia de um peregrino
Que por muito tempo
Percorreu as trilhas do teu coração,
Em busca de um oásis.

Um estranho olhando pro céu
Tentando ver alem das nuvens
Não encontrou lugar de descanso,
E se perdeu na desértica imensidão ...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

"Eu sei que as pontes que eu queimei no caminho deixaram-me com essas paredes e essas cicatrizes, que não querem sair"



O desabafo alivia as tensões?
Eu que sempre agüentei calado...
Preciso falar... Falar que te amo?
Talvez alguém ouça meu clamor,
Neste ano que termina de aparência sofisticada,
Moderno, cheio de tecnologia e interatividade.

Hoje amanheci triste e preciso falar,
Pouquíssimas pessoas sabem o valor,
Da simplicidade, do amor, solidariedade.
Pessoas tão bonitas por fora, polidas,
Mas, por dentro vazias, buscam algo mais,
Que não se pode achar, porque está dentro delas mesmas:
O amor.

Como você disse: “Somos poucos”
Talvez por isso te ame?...
Eu sou o vazio... E um visgo me prende...
A você e as pessoas que amam de verdade.

sábado, 18 de dezembro de 2010

“Empurre minhas costas, então terei certeza de que você está bem atrás de mim como antes”



Se dor mais forte me deres a sofrer
Que todo entendimento não possa exceder...

Se ocultardes sua beleza em mascaras
Quando teu rosto quis eu olhar,
Fita-lo como uma noite de luar...

Se me prenderes na masmorra,
Tudo sem êxito perseverar...

Relisiente eu estarei a te esperar.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

“Deixe-o saber que você sabe mais, porque no final você realmente sabe mais. Tente acabar com o tempo da defesa dele sem conceder inocência.”



Sou uma ilha deserta
De um arquipélago qualquer
Pelo oceano banhada
Sou de terra, sou de pó.
Ser continente? Quem me dera.

Queria um dia ser sol,
Outro dia ser o mar...
Suave seu corpo banhar.

Por querer ser tanto
Descobrir ser nada.

Sou apenas uma ilha...

...vazia...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

"Dê uma olhada além da lua você vê as estrelas e quando você olha em torno sabe de cor qual é o quarto. Eu nunca sonhei uma noite como essa."


Extasiado na mocidade

Ando em mundos mil

Enquanto correm os anos

Pensando não sei bem o que

Entre fantasias e sonhos

Aconteceu:

Conheci você...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Durante a noite toda eu tentarei muito estar lá de algum forma com você, até os primeiros sinais de luz."


La no alto do céu, muito além do véu escuro
Ressoa uma música calma, de paz, silente
Encontro contigo longe do burburinho...
Linda mulher vestida com o sol ilumina,
Sua voz, uma canção no vazio encanta,
Teus cabelos de ouro, sua pele camurça
Olhos verdes, ou azuis do mar (esconde-se de mim)
Suas pernas torneadas, suas nadégas... (carnudas)

Você é a dona da minha ilusão...

Olho pela janela e chove agora,
Madrugada fria de quinze de dezembro.

domingo, 12 de dezembro de 2010

E se você estivesse comigo esta noite, eu cantaria pra você... Só mais uma vez uma canção para um coração tão grande"



Teima coração te amar
Numa cumplicidade.
O tempo toca-o, ele desaba
Sem entendimento,
Eu respiro você e não ar.

Quando ando pelas ruas,
Em outras pessoas Imagino você,
Vejo traços do seu rosto,
Flui em mim um sentimento,
Meu Eu foge contigo
Deixando-me aturdido.
No intimo dói em segredo
Disfarço com um sorriso
Que tenho guardado. ( pra você)
O meu corpo gela,
Nada que eu possa fazer..

Ergo meus olhos à noite sob o véu do luar,
Sinto a luz do sol percorrendo continentes,
Anseio por encontrá-la e aliviar minha dor.
Você nada sabe por que no seu mundo...
Eu sou passado.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

“Sua forma é a chama das estrelas. A sua alma é a canção em silêncio”



Mórbidos passos na vasta noite,
Seguindo, caminha único destino
Peregrina senda de espinhos
Montanha, penhasco, no alto
Sem farol na sombra negra
Nas procelas cruéis e rudes,
Perecendo... Quem veria?
Luta contra seus fantasmas,
Estrada de plena incerteza
Leve vida espiral, escura fumaça
Sem rumo, o fogo abrasa.
A luz semeada na densa treva,
Impede logro dos seus algozes.
Conforto na miséria, paz no sofrimento
Seus olhos dispersos no firmamento,
Cansado, finda o dia sem alento,
Solidão fugaz, atroz, prende...
Bem guardaste um lugar no coração
Dentre montanhas de lembranças,
Como pérola de grande valor:
A imagem do sorriso dela,
Pintura abstrata...
Envelhecida pelo tempo...

domingo, 5 de dezembro de 2010

"Você poderia ser a unica que ouve minhas mais profundas inquisições. Você poderia ser aquela que eu sempre vou amar"



Nas lamparinas das ruas do passado deixou seus sonhos
Sufocado sob lagrimas de dor, vertidas na desilusão.
No horizonte, na linha do mar navegam emoções contidas,
Carrossel de desejos reprimidos em tempos longínquos.
Quando respira a alma exprime sentimentos latentes,
Fixa todo olhar na escuridão em busca de uma luz,
Como cego tateando, na esperança de senti-la.
Os dias lhe deram fel em cálice perpetuo,
Pranteia o amor perdido no caminho...
Todo o dia o sol nasce na inocência de encontrá-lo...
Doce é a ilusão de quem ama e triste é amar o que se perdeu.

sábado, 4 de dezembro de 2010

"Me encontre aqui e fale comigo, eu quero te sentir, eu preciso te ouvir."



Persigo caminhos...
Penso que sou feliz
Conto dias, conto horas
Dias calmos de vida vã.
Uma voz aqui clama
Minha mente nega ouvir
Nem meu passo quer seguir
Como posso te encontrar?
Cada dia é passado
Como cena congelada
Projetada na tela
Esvaecida no tempo...
Não comunica o futuro
Negando o que quero
Perde-me a memória.
Continuo...
Persigo caminhos...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

"Eu fecho meus olhos e tento esconder, mas, desperto quando esses sonhos colidem..."



Não sei aonde ir...
Mil vezes falhei...
Além do véu
Do tempo presente
Tristeza Inunda
O corpo quente
Estrela aurora
Suave pluma
Perversa áurea
Satisfaz o ensejo
Sanidade de outrora
Ou raia um novo dia,
Em mim...
Em ti...
Em nós.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

"Não tome todos os meus pensamentos de hoje, então eu posso começar... Começar de novo".



Silêncio...
Ruas desertas
Vitrinas acesas,
Inanimados seres
Um pensamento,
Um desatino,
Usurpou a paz
Realidade intrusa
Castelo de areia...
Dualidade irreconciliável
Dois seres, um mundo
Dissimula a vida.
O passado encena
Arrasta solitário tédio
Gasta o tempo,
Gasta os pés
Descontentamento,
Um viés.
Bramo silencioso
Imóvel na noite de paz,
O céu límpido
Vácuo que enche tudo
Um indouto sem rumo.
A lua olha pro o céu
Ele olha pra lua
Vem madrugada,
Ele continua...
No caminho distante
Doce eco...
Tudo dorme ao redor.
Ela... Em algum lugar...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

"Eu tenho pensado, e isto não é tudo o que aparenta".


Na singela beleza
Surge o dia sereno,
Enteógeno pensamento
A luz do puro amor
Rendo-me docemente
As canções das flores,
Que você compôs
Em dias tristes
Traduzindo o insondável...
A essência da alma
Transcende o temporal,
Deságua em rio de paz.
Quão doce aos ouvidos
O cântico das suas cordas,
Como sereia atrai e prende,
Bálsamo que alivia as dores.
A terra desce na amplidão,
Tendo o céu e o mar por testemunhas.

sábado, 20 de novembro de 2010

"E você pensa que tem que querer mais do que precisa, até você ter tudo não estará livre. "


Quando olho no espelho
Angustia-me, mundo doente
Brota-me melhor desejo
Anseio consertar teus erros.

Brilha o sol pungente,
Não tem outro lugar...
Faz o humano perceber,
Enxergar o que não sente.



Oh! Pedra de tropeço!
Lua cândida brilhava.
Súplica desesperada
Preservar sua morada.

Sob o manto poluído
Admirar estrelas do céu
Terás outro destino?
Assalta dúvida cruel...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

"Quem revelará o mistério que tenha fé e quantos segredos traz o coração de uma mulher"


Nasceu a muito no coração
Intenso e bem disposto
Sua gloria espelhava
Os reis invejavam...
O tempo passou
Da beleza a tristeza...
A falta do amor ardente
Secou o pranto
Como raiz de terra seca...
Rosa entre espinhos
Ave sem ninho...
Dos lindos dias de verão
Dos ruidosos ventos sul
Mui belo rico apreço
Posso te dizer:
EU ERA FELIZ.

domingo, 14 de novembro de 2010

"Você me mostra como profundamente o amor pode ser"


No vazio da paisagem silencia a alma
Profunda noite que beira o abismo
Extingui-se dos olhos o brilho de outrora
Cansada, o coração almejava repouso
Tanto amor plantou ceifou saudades...
Esmaga a altitude no rarefeito ar
Feridas ardem no calor escondidas
Toma do cálice amargo um trago
Prevalece o sentimento nas origens
Escrita na memória dos teus dias
Rende-se a luta, entrega-se a desilusão
Dói como dor de parto no deserto...
Esquecida assim que nasce o filho
Entre campos e florestas infindas
Aceita resignada o destino...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

"As folhas começaram a cair e ninguém falou nada"


E quando enfim chegar a primavera
Depois da noite de nuvens encasteladas
Toldando em negro o céu azul anil...
As trevas vêm no manto da indiferença
Campeia tredo pela metrópole afora
Buscando o inocente descuidado
Prendendo-o em suas teias sem perdão...
A noite vem na morte face desconhecida
Nas dores de quem ficou pranteando a dor...
Guardai ciosas esperanças no amanha
Em dias melhores, com mais amor
Quando enfim chegar um novo tempo
Uma nova terra, passado velhas coisas
Refez-se em felicidades, em paz e alegria.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

"Tudo que eu fiz foi me confessar escravo do teu amor, livre para amar, quando eu mergulhei fundo nesse olhar."


Oh! Este amor incurável
Que nasce em cada novo dia
Renasce cada manha
Sorrir depois de cada dor
Tem um brilho no olhar
Conserva-se a cada primavera
Se teu sorriso me dá alegria
Tua força me guia no caminho
Teu abraço felicidade
Teu beijo perdição
O que darei a você querida?
Um presente diferente
Uma pedra preciosa
Um mundo inteiro
Uma florzinha no jardim
Expressões de carinho
Aquilo que sinto?
Algo que nunca acabe...
Darei-te um céu estrelado
Uma gota de orvalho
Um raio de sol
Mas, nada posso te dar...
Apenas o amor,
Arrancado do meu coração...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

"Todo dia eu sento e me pergunto como o amor foi se esfriar"


Circunda Alma fragrante atmosfera
Quando tu me olhas exibindo charme
Doce influencia me invade a tua voz
E meu coração se abre como uma flor
Pura imaculada tez instiga-me desejo
Poder vitalizante no suave toque
Fonte que irrompe água viva
Longânime remédio pra alma.

"Este Romeu está sangrando mas você não pode ver o seu sangue"


Eis que um dia...
Os olhos inocentes te olham
Suplica docemente...
Que voe o pássaro cativo
De flor em flor...
Liberte a imaginação, a sensibilidade
Sinta todo seu ser...
Participando da singela beleza
Dos jardins, do campo...
Deixe-o livre, autentico
Revelando o EU...
Saboreando a vida...

domingo, 7 de novembro de 2010

"Eu estarei sempre lá, várias e várias vezes, quando você precisar de alguém pra te amar."


Hoje eu vi com teus olhos,
Dentro de mim, a vida, o mundo
Perscrutei imperfeito coração
Juntando de você pedaços
Recordei lembranças veladas
Em fotografia preto e branco
Distante sinfonia, calado...
Forte entre os espinhos
Alem das montanhas
De encontro ao passado
Acima das tempestades
Guardado noutro tempo
Que amei e fui amado
Satisfiz múltiplo prazer
No teu corpo dourado...
Na armadilha caí, o laço
Pelo nostálgico traído
Mistura de amor e pecado
Pelo pensamento ferido.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

"Não falando por um ano nem três ou quatro anos, pra sempre"


Há algo sobre você
Que eu nunca disse
Em versos que traduz
A pureza d'alma que sente

Ao cruzar teu caminho
Não me sinto mais o mesmo
Você seduz de mansinho...
Teu olhar desperta o desejo

Minutos te admirando
Sua poesia me prendendo
Seus olhos me fitando
No mágico momento

Personalidade fascinante
A falta que você me faz...
Traz-me tristeza dissonante
Em um dia de rotina a mais

Verdade não pode esconder,
Você talvez nem perceber
Segredo guardado no intimo
Que nunca vou te esquecer...

sábado, 30 de outubro de 2010

"E eu tento ser a única pessoa com esta melodia na minha cabeça,"


Madrugada fria, por terra inerme jaz meu eu
Na profanação, impotência, abjetas dores exalam-me
Varrido pelo pó como em vendaval dos sentidos
Alma teme prisão na eterna noite negro ébano
Absinto não impedirá o alvorecer que irrompe
Radiante manha de luz a anunciar o mundo
Quando a alegria estancar pra sempre o pranto

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

"Eu deixo a onda me acertar e o vento vai levando tudo embora..."


Caminhava na praia, tocava-me o vento
Olhava pro mar na noite vazia
Silencioso amor no pensamento
Só a lua e eu, o mundo esquecia...
O mar solidão lágrima na areia,
Sentimentos absortos insistiam
Levava pra todo destino preia,
Cansada alma só um lugar queria...
Seu coração abrigo... Mas, o dia amanhecia.

sábado, 16 de outubro de 2010

"De cada quarto os corações falaram através das paredes "


Um amor
Uma historia
Uma dor
Marcada pelo tempo
Uma música
Um lugar
Posso te encontrar quando prá trás olhar...
Um pássaro sem asa
Sem você sou...
Um nada
Eu que sou
Uma razão
Um tudo
A força prá vencer
Um brilho nos olhos
Um pensamento
Quando em tudo penso
Uma pagina virada...
Um esquecimento
Por onde quer que vá
Uma escuridão tenta entrar
Mas, a luz é meu brilho
Entrego-me ao encanto
Deixar-te-ei...
Por outros caminhos...
Vou me perder... — Pra você me achar
Algum dia em algum lugar
E ouvir sua voz me chamando:
— Eu te amo.
Ai!... Acordei do sono...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

"Eu queria que você nunca esquecesse o meu olhar quando nos vimos pela primeira vez"


O sol queimava, não veio chuva,
Chegaram o fim e a terra seca
Não germinou a semente.
A dor insistiu não passar
Transformando os dias em vazio.
O tempo já se foi, passou...
O orvalho de cada noite persistente,
A semente adormecida floresceu...
Infelizmente, a flor no campo secou,
Por que veio a colheita e você não ceifou...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

"É, acabei de ouvir as notícias de hoje, parece que minha vida vai mudar"


No momento de tristeza lembrei-me
Da luz na noite, do meu desejo, da paz...
Esqueci-me do rancor, do espinho, da dor...
Evitei as lagrimas aprisionada em mim...
Os dias jamais serão os mesmos sem teu amor,
Caminho meus passos de esperança,
Os pés continuaram subindo o penhasco
Chegou ao ponto mais alto do cume,
Lá o infinito refletia minha própria imagem,
Do passado quando eu era seu pensamento...
Sempre contigo antes da primeira lágrima,
Nunca ficaste sozinha, nunca feriste teus pés,
Quando você sofreu doeu em mim,
Não lhe disse nada mais você percebeu...
Renuncie meu íntimo pra que você
Experimentasse a felicidade,
Eu te chamei de eterna amiga,
Por longos anos, você não entendeu...

sábado, 9 de outubro de 2010

"Bem, deixe os poetas chorarem até adormecer e todas as suas palavras vão evaporar"


Um instante levou o tempo
Transfigurando pensamento
O vento balançava as folhas
Meu corpo em movimento,
Morto na cápsula tempo
Espírito incansável vagava,
Por cidades incógnitas
Mares nunca navegados,
Desbravando terras insólitas,
Astronauta no espaço,
Buscando um sentido...
Uma pausa para o vazio,
Repentina luz inspirada,
Ímpeto de fugaz poeta,
Com tinta anil disfarçada...
Estranho é o paraíso,
Quando devaneios sob chuva
Transforma homem escravo...
Asa de vento enrola nuvens,
Não corrigi erros passados
Nem há luz no fim do túnel...
Culpado paga com infelicidade
Falta que traduz em saudade...

sábado, 2 de outubro de 2010


Grávida lua cheia nas dores de parto
Observa passiva do seu pedestal prata
Vê-me e nada faz como você...
Silenciosa vastidão cosmo
Alva brancura, telúrica
Na magia de suas fases
Percorre o seu árido itinerário
Caminha lentamente sua órbita
Docemente machucando os corações aqui embaixo
Destilando lúdicas poesias em prosa
Engana-se a tristeza com um cálice de vinho
Sob um prisma de felicidade
Segue ó lua inspirando poetas solitários
Nas sutilezas da sua luz toca , fere, recorda
A saga de um amor impossível
Marcado no tempo, mas, esquecido
Tanto é o querer, sufocar, perder
Lapida o espírito resignado
Revive ó dor? Persiste sem descanso
Como agulha no sulco estrado,
Na vida deste ser o chão desaparece,
Navalha na carne a cortar é saber,
Com outro amor ela parece viver...

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

"Velhos piratas, sim, eles me roubaram, me venderam para navios mercante"


Composição: Bob Marley

LETRA
"Liberte-se da escravidão mental,
Ninguém além de você pode libertar sua mente
Não tenha medo da energia atômica,
Porque eles não podem parar o tempo
Por quanto tempo vão matar nossos profetas?
Enquanto nós permaneceremos de lado olhando
Huh, alguns dizem que é apenas uma parte disto
Nós temos que cumprir inteiramente o Livro"

terça-feira, 21 de setembro de 2010

"É preciso mais força para chorar, admitir a derrota"


Milhares de palavras não vão te conquistar...
O primeiro passo de mil a se distanciar...
Olhava da janela você na luz esmaecida,
Meus olhos rio deságuam no mar,
Verdade feria realidade eu descria
Aos poucos cedendo se descortinando...
Choque... Inquieto meu corpo tremulo,
Na febre opressa o coração queimava...
A emoção negava a razão admitia
Na dualidade do ser à noite e o dia,
Essência e substancia corpo e alma
O tempo de aceitar a dor de perder...
Morrer... E no amor de novo renascer.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"Se você não entende não vê, se não me vê não entende"


Noites perdidas, indagando antiga pegadas...
Em caminhos aleatórios, sempre uma saída
Meu coração eterno apaixonado, de amor inebriado
Daqueles dias dourados, êxtase, alegre doce vida
No teu corpo divo, qualquer lugar, o céu por telhado
Correspondia paixão sem medida, no toque atrevido
Contente passeava habitando castelos encantados
Que pena eu... Ogro... Você minha Rainha amada.
Sonho... Beijando travesseiro acordo irritado,
Amanheceu o dia, o sol sorrindo fazendo companhia...
O tempo cicatriza a ferida de um erro do passado.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

"Se você se for como vou ficar, é que meu coração linda, não vai aguentar"


Se quiseres simplesmente me amar
Não quero riqueza, quero uma praia
Uma palhoça com chão batido
Quero sua alma...
Não me importa luxo...
Talvez como Amélia,
Se você me amasse
Não seria peregrino...
Pés descalços, um sapo no bolso como menino
Não pense no futuro, teto de estrelas
O calor do sol, a jangada é meu rumo
Quando em alto mar só um pensamento
Prá te encontrar luto com o mar e o vento
Na terra firme, com o fruto do mar,
Feliz o teu olhar me consome por dentro
Alcancei meu objetivo, meu destino.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

"Nenhum outro doce perfume me torturou mais do que esse"


No vale radiante onde o dia nascia
Na montanha do sol poente
Viajava nas dificuldades de sua jornada
Esperava o plano que sonhara
Mais o trem não chegou, no ocaso
À noite em diamantes de orvalho
As janelas de ouro que reservava
A alma rompia não se intimidava
Viajou tempos, exausto, macilento
Roupas rasgadas, pés sangrentos
Ficou perdido, cansado, faminto
Não encontrou caminhos, distante
Sonhara encontrar uma porta
Mais nem lhe abriram uma janela...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

"Eu posso sentir sua dor"


Sonhei com você e ouvi sua voz
Mil coisas imaginei no seu chamar
Sinto sua presença pelo ar
Ouço sua voz quando escuto Damien
Quando na estrada uma flor o perfume exala
Ouço sua voz e cerro meus olhos no seu clamar
Sei quanto és sensível e sinto tua dor
Ouço sua voz quando abatida queres um abraço
Você disse meu nome atendi e estou aqui.
Ouço sua voz quando no desabrochar você sorri, canta
E se o amanha lhe trouxer temores, duvidas, pesar,
Eu prometo que assim que você me chamar
Darei-te as mãos onde estiver
Meu amor vai te acompanhar
Calvagará pelo paraíso como no sonho
Sem pensar em acordar.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

"Ainda há um pouco de seu gosto em minha boca, ainda há um pouco de você amarrada a minha dúvida"


Quando dei por mim um abismo turvo
Todas as metáforas no silêncio que esmagam
Disfarçam intenso amor e mortal dor insana,
Machuca por querer, oliva carrasca,
Melhor o sepulcario, o repouso no frio leito...
Dói te sentir distante, oxalá como uma miragem
Do seu retrato na parede sorrindo,
Eternizada em papel e tinta,
Inscreveu-se em minha mente,
A epígrafe de Nietzsche amor e histeria...
Dessimetria incurável, conflitiva edípica...
A insólita esperança sentada no bosque,
Olhando pro nada, nas nuvens
A beira do lago que emana neblina,
Dissipada pela brisa, calada segue seu destino
Espontânea a liberdade não escolheu,
Mas, Impensável outro caminho,
Enclausurado na alma de menino,
Vivo por amor e por isso feliz eu sou...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

"Eu não sou um homem de muitas faces, a máscara que eu uso é uma só"



Dourado nascer do sol,
Dourado é seu corpo
Meu primeiro pensamento...
Viajo pra mente espairar,
Caminho em busca do mundo,
Na sinfonia das gaivotas no céu azul
Meu olhar se perde sobre o mar
Teus olhos verdes tentando encontrar...
Minhas pegadas marcadas na areia,
Imediatamente pelas ondas apagadas,
E minha existência pelo tempo envelhecida,
Só o amor em pedra perpetuado.
O por do sol o dia findou
A noite adornada pela lua prateada recolheu-se,
Quando o vento forte e nuvens escuras rasgam o firmamento,
Irrompendo em tempestade lá fora,
Desce o manto da escuridão aqui dentro...
O barulho da chuva, os pingos na vidraça a escorrer,
Esforço-me para o enigma decifrar,
Altos e baixos de anímicos sentimentos...
A luz de velas m’alma a iluminar,
Firmo meu farol guiando-me na imensidão,
Brilha em mim como uma estrela d'alva,
Num canto qualquer esquecido do universo,
Invadem-me pressentimentos como multidão.
Abro uma garrafa prá relaxar,
E adormeço pelo vinho inebriado...
Às vezes seria melhor nem acordar,
Mais Infalível aurora despontará,
Um novo dia dourado nascer do sol,
Chama-me seus raios nas frestas
Da morte para ressurreição...
Mais dourado é seu corpo
Meu último pensamento...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

"Quando estou sozinho sonho com horizonte"


Quando o sol deita-se na sua cidade,
Noutro horizonte contemplo pasmo...
Confiei esperanças no sol poente
Aguardando a terra prometida
Meu tempo se esvai no espaço,
Conto meus dias de rotina vida.
Desesperei na calmaria do vento,
Passou... Envelheceu meu amor...
Hoje... Coração bate descontentamento,
Ousei na inocência de Pierrô,
Mas, você vive feliz com Arlequim...

sábado, 28 de agosto de 2010

"Complicado e perfeitinha você me apareceu"


Pode o coração sangrar,
E você nem perceber...
Guardo em segredo,
Querendo entender
Pois seus códigos não sei decifrar...
Na luz da lua cheia a solidão testemunhou,
Nossa alma cruzando a linha além horizonte...
Por amar-te eu corro rios,
Como veias em direção ao mar,
Espalhando poesias de amor,
Em garrafas a navegar...
Uma delas enterrada na areia,
Na praia tranqüila por aquartelares...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

"E talvez eu tenha entendido e estou aqui."


Não fique triste querida
Olhe para o céu azul, a natureza...
Nem sempre é possível curar feridas...
Se alguém te fez sofrer, eu sofri por você...
Quem te fez sofrer, também sofreu por alguém...
Quem no seu pranto cuidou de você?
Ou de mim?
Quando chegamos diante da desilusão?
Ninguém nos esperava...
Nada se modificou como o retrato amarelado...
Choramos...
Feridos no peito...
Assim vivemos por amor...
Percorremos nossos passos,
Deixamos rastros difíceis de apagar...
Sinto tua dor...
Por que te amo.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

"Sinto tanto frio, deixe-me entrar por sua janela?"


No arco-íris a tua cor
Nas estrelas o teu brilho
Na alegria teu sorriso...
Tanto te falei de amor,
Muitos mistérios a desvendar...
Mais se teus olhos me fitar, envolver
Juro que nunca mais vou te esquecer...

sábado, 21 de agosto de 2010

"Você é a onda, eu a ilha nua..."


O vento acaricia teu rosto,
Viaja na distancia, traz-me teu cheiro
Quando a água toca teus cabelos
No banho, o perfume do teu corpo exala,
De olhos fechados em delírio, imagino...
Queria ser o vento, no suave toque
Como a penugem de um cisne branco,
Dentro de ti, nas luas gêmeas me perder...
Ouvir os teus gemidos,
Como musica aos ouvidos...
E tua paixão acender...
Ardendo em chamas, queimando...
Escaldante calor, teu desejo saciar...
Brotam-me mil pensamentos,
Sem teu consentimento,
Em lembranças a me atormentar...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

"Saiba que meu coração é um barraco de zinco todo cuidado"


Se a Brisa,
Me desse uma Flor
Com  tua face,
E o vento as sementes espalhasse...
Inalaria o Perfume,
Não precisaria do teu corpo
Em uma noite de verão,
Satisfaria meu desejo
Apenas com seu coração...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Se pudesse te achar...


Por caminhos perdidos,
Como peregrino cansado,
No pó das estradas sulcadas,
Lugares desconhecidos...
Se bem alto te gritasse,
Ecoando nas montanhas e colinas,
Quando tua música suavemente,
Machuca em segredo...
Entrego-me à noite... Ao vinho...
Despercebido... No descompasso...
O socorro urge a este amor emulsificado
Sem alento,
Revelando as imagens do passado...
O coração clama agoniado...
O tempo pára, adormecido, errante...
Inútil espera... Docemente ferido...
Esconde-se, fugindo...
No teu caminho...
Nega  teus desejos ...
E m'alma  suplica,
Queira Deus melhor enredo...

sábado, 14 de agosto de 2010

"Ela pode ser o rosto que eu não consigo esquecer"


Nas profundidades da alma
No vazio da insatisfação,
Quando o espaço transitório
Perde-me da existência,
Tentando preencher o coração...
Inventando amores aos pedaços
Para esquecer o verdadeiro...
Penetra cortante como espada
A lembrança inesquecível
Do seu amor inteiro...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Amor?


Atalhos
Caminhos
Pensamentos
Cárcere privado
Lagrimas, silencio
Germina sentimentos.
No horizonte
O sol desponta
Astro rei e alivia dor
No brilho que ilumina...
Minha doce companhia,
Conquista-me em nuances.
Quando enlouqueço em solidão
Habita no deserto interior,
Rarefeito sufoca a paz...
Negando a realidade o coração me trai.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

"Voando, eu jamais pensei que aprenderia assim"


Muito tempo procurando,
Meu olhar disperso no infinito.
Esperando um encontro...
Deixa-me... Resignar-me!
Assim cansado...
No desconhecido tropecei...
Suspirando te perdi,
Assim que toquei...
Mas, como esquecer?
Mesmo ignorado,
No amor encarcerado,
Nas lembranças te acharei...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

"Ela Me Fez Chorar"


Quem se importa...
Brinca como criança,
O valor de quem te ama?
Sabe dos sentimentos?
O que teve inicio fim e meio...
Quem sabe do amor eterno?
Não daquele enquanto dura.
Tente sentir ao seu redor...
Alguém te amou assim?
Como as flores do campo,
Ou o perfume das rosas,
O cântico alegre dos pássaros,
Sol penetrando na janela do teu quarto...
Quando mira o horizonte...
Talvez presente, Invisível
Nem perceberás, entretida
Te tocara como uma brisa...
Mas, se queres ignorar, olhe prá lua...
Tão distante do sol...
Recebendo seus raios e traduzindo em branco,
Quando cheia Inspirando apaixonados casais...
Brilhando no espaço solitária...
“Na solidão dos astros”
Que fere, entorpece em desatino,
Minha sanidade por caminhos se esvaindo...
Só me encontro quando dia amanhece,
Abro os olhos e estou vivo...
Na real quero de amor morrer,
Ou matar este amor que me faz sofrer?

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

"Eu disse que preciso de você?"


O caminho não tem fim...
Toda insensatez se desfaz...
O valente se destrói...
A criança se perde,
Procurando um porto seguro.
Os destinos nunca se encontram.
Quanto ao amor volúvel?
Pode ser paixão...

terça-feira, 3 de agosto de 2010

"Quem pode dizer aonde vai a estrada?"


Se pudesse ser o vento,
Prá te visitar...
Quem me dera tua janela tocar...
Como uma canção suave,
Uma luz acessa iluminando-te,
Nas tuas noites escuras,
Quando no teu intimo sente-se só...
Na beira do mar em nostálgica noite de luar...
O vento no teu rosto roçar...
Nos momentos da tua intimidade te olhar...
E morrer de desejos do teu corpo...
Me perderia nos teus cabelos em carinhos.
No ouvido palavras a te enlouquecer segredaria...
Mas, distante, viajo em pensamentos

"Espero que você não fique só sem mim"


(devote)Christopher Johnson McCandless

Onde estão os céus e o sol?
As estrelas, a lua, a noite?
E só vejo os engenhos da morte,
Tenho medo da fumaça
E das bombas de fogo...

No reino das vaidades,
Dos homens com ódio,
Revolta, tristeza e rancor
Ressentimentos e inveja
Já não sentimos o amor

Eu só queria o bem
Oferecer mais que querer
Coexistir e não só existir
Não exigir e sim atender
Por quer servir-se do que servir?

Pai eu ouvi sua voz justa
Peço que enxugue meu pranto
Perdoe-me por minhas lamúrias
Ou por ter perdido meu encanto
Andei por caminhos desconhecidos... Perdido...

sábado, 31 de julho de 2010

"Não há fim nas distâncias"


O sol brilhando, você ecoando dentro de mim...
Dois caminhos, dois destinos um encontro...
Beija-me fortemente como nos mais belos sonhos ...
Veja-me pela última vez e não sempre...
Tanta é a vontade que me abraça os momentos...
Se alguma vez se sentiu ferida, não te feri...
Foi seu coração humano que quis assim...
Tenha uma criança como exemplo de pureza e amor,
Te desperta, ergue-te, sintoniza teus pensamentos,
Foi para ti meu terno olhar é minha penúltima dor.
Humilde e estando sob igual sentença contigo...
Leva-me prá teu paraíso?

quinta-feira, 29 de julho de 2010

"Só você"


Fantasmas do passado ainda me assombram
Quando na noite eu rolava de insônia,
Luto e mantenho minha mente intacta
Mas, pra ser sincero... Entristeço...
Quando penso outro recomeço...

terça-feira, 27 de julho de 2010

"Deveria eu me perder do amor, meu fogo na luz?"



Madrugada de luz
Inerte gloria
Abjeta impotência
Seu ódio intriga
Do sepulcro ao pó
Da morte para vida
Varrido na tempestade
Como pobre desgraçado
No ardor do cataclismo
Meu caminho iluminado
Abria um leque de esperança
No radiante dia de sol
Se pobre sem pão
Ou o cego sem cor
Na aflita expectativa
Doce paz me afagou
A morte como cárcere
De tanto mal induzido
Refugio-me envolto
No amor perdido...

segunda-feira, 26 de julho de 2010

"Por quê?"


Ela chegou com o passar do tempo...
Ficou no lugar que você costumava ficar...
O vento soprava nas arvores de madrugada,
Eu me olhava no espelho e o tempo não passava...
Mais não conseguia preencher o vazio,
Não ocupou espaço, nem se quer foi notada,
Insistiu e ficou com o que não lhe pertencia,
Meu coração pacientemente se acostumou,
Cansou de lutar e se entregou... A você...
SAUDADE.

domingo, 25 de julho de 2010

Adeus




Houve um momento no passado em que você fez um acordo comigo. 
O tempo a passou e a vida desvendou-se na máxima representação do sentimento amor.
Houve um dia que te aceitei e me entregue sem reservas e o fiz sem medo de decepções.
Abrir meus braços no instante que meu coração abriu a porta pra te receber. 
Sem mágoas prosseguiremos a caminhada. Abri outra porta para  outro amor,
Quando você fechou  meu coração e foi embora.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

"Que mundo maravilhoso"







Uma lembrança do passado...
Não achei o bosque,
A fonte dos pássaros,
O rio onde me banhei assoreado,
O mar poluído, quando de manhazinha,
Buscava seu vento terreal...                            
Tentei encontrar a lua cheia,
Que me iluminou nas madrugadas,
Empunhava um violão debaixo da sua escada...
Mas, o céu cinzento...
Procurei as estrelas que contamos...
Mergulhei nas entranhas da terra,
Suas placas em desatino...
O mundo está se esvaindo.
Eu homem, como menino,
Só penso em grandeza...
Tomei o ouro e me cobri,
Sinto-me no domínio
Mesmo assim não aplaco meu desejo insano...
Até que perdi o sentido...
Hoje... Sou apenas um andarilho.

A Katie se parece com você, quando a conheci.

terça-feira, 20 de julho de 2010

"Hoje a noite, eu tenho você onde eu quero você"





"Hoje a noite, hoje a noite
O mundo inteiro poderia cair,
Mas, você e eu..."

"Sem você"


Eu sei que você não vai me escutar...
Deixando meu coração triste,
Sinto saudades todos os dias,
Sei que nunca vai demonstrar amor...
Fico com a minha inexplicável calma...
Externamente feliz, interiormente...
Tomara que a chuva caia logo,
E a tempestade irrompa em trovões.
As lágrimas podem ser contidas,
Os soluços sufocados.
O destino,
A casa,
E o amor,
Vazios...
...

sábado, 17 de julho de 2010

"E se eu sair?" (Li...)





Pra te encontrar
Em caminhos perdidos,
Como peregrino em perigo
No pó das estradas sulcadas,
Por lugares desconhecidos...
Nos altos montes te Bradava,
Ecoou por colinas adormecidas...
Meu peito em segredo te caçava...
Tua musica suavemente afligia,
Na noite despercebida que socorro urgia.
Imperceptível na entrega,
A este amor emulsificado...
Nem sabes de  desencantos,
Quando nostálgico coração clama?
Errante passa o tempo esquecido,
Preso na inútil espera?
Realmente ferido  além do ser,
Você escondida fugindo...
Negando teu querer vais prosseguindo...
E m'alma suplicando,
Queira Deus melhor destino...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

férias.

Estou tirando férias por uns dias, agradeço a todos. Agradeço ao querido(a)
Que sempre me destinou sua atenção e palavras carinhosas.
Abraços, até mais.

terça-feira, 13 de julho de 2010

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O que é o amor?


Para o amor não existe definição...
Não existe profundidade, nem altura...
Não há distante ou perto...
Não vê o abismo, simplesmente desce...
Não percebe o vazio...
Não conhece fronteiras...
Não é perfeito ou imperfeito...
Pode ser feio ou bonito...
É sempre terno e doce.
Não sente a aurora ou ocaso do sol.
O amor não vive o hoje, ou ontem, nem será o amanha...
É eterno...
Não conhece a noite escura...
Ele é luz.
Virá o inverno e outono
Os equinócios da primavera e verão,
Contudo o amor permanecerá,
Porque ele é a plenitude...
Tudo passará...
Mais o amor...
O amor...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

"Como você pode simplesmente se afastar de mim, quando tudo o que posso fazer é assistir você partir?"


À noite me leva com ela...
Talvez amanhã esteja melhor...
E se cada coisa me parece mudada
Não quero acreditar que mudou
O horizonte escuro é um cenário,
Apenas um pano negro de fundo,
No inicio da minha noite de insônia...
É que eu não consigo demonstrar emoções,
Não consigo mais chorar...
Quero acreditar numa ida sem volta,
Como você propôs... Mais meu coração...
Ah! Meu coração não quer te deixar...
Ele é teimoso como o velho e o mar,
Gasto um dia lutando com o nada
E o nada é o passado que ficou pra trás.
Novamente tento dormir um sono tranqüilo.
Se a noite foi feita prá se dormir
E cada nova manha a mente revigorar,
Por que o pensamento insiste te lembrar?
Sua vida está diferente, você não é mais a mesma.
Como tens tanta certeza, nossas vidas não vão mudar,
Porque você fechou a porta e se entregou a outro amor.
Quando o céu se ilumina nos primeiros raios de sol
Ainda estou com você, contudo me sentido só
Desperdiçando mais um dia pra viver e recomeçar,
Num domingo ensolarado no céu de Brigadeiro.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Há alguma coisa em comum entre nós além do vinho?


Oh!Vida dual...
Perdão “The Bard” pelo mortal,
Como “Hamlet”
Cruel busca...
Consciente leveza
Do peso a perda...
Da brisa a tempestade
Entre a vida e o palco
Dia sério dia palhaço
Adormeci na duvida
Na certeza me desfaço,
Visita-me Euforia
Tristeza noutro dia
Persegue-me pensamento,
Conjeturas ao vento...
Improvável contentamento
Na teoria Inconsistente...
Divago no enigma ser,
óbvia incompreensão de quem lê.
Enfim... Jamais quero morrer.

sexta-feira, 2 de julho de 2010
















Emana do pântano fumo
Frio congelando ossos,
Lapides na escura paisagem
Do silencioso sepulcrário,
Banhado pelo cheio luar.
Traz vento musica suave
Desperta ocultos sentimentos...
E absortos pensamentos,
Liberta sonhos do cárcere...
Atravessam lentamente à noite...
Voam, revoam corvos ébano
Em vegetativa estada
Que persiste madrugada...
Vagueiam bosques sem destino,
Percorrem cidades dormindo...
Sobre o caos paraíso
Da hiper-imensidão(São Paulo)

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Oh! Madonna...









Borderline
Madonna
Composição: Reggie Lucas

(LETRA)
Alguma coisa no seu jeito de me amar
Que não me deixa ser livre
Eu não quero ser sua prisioneira
Então, baby, liberte-me
Pare de brincar com meu coração
Termine o que você começou
Quando conquistou o meu amor
Se você me quiser, deixe claro
Baby deixe transparecer
Meu bem, não estou para brincadeiras
Tente entender eu dei tudo o que podia
Porque você levou o melhor de mim
Ao limite
Parece que vou enlouquecer
Você não pára de levar o meu amor
Alguma coisa nos seus olhos
Que me faz agir como uma tola
E quando me abraça
Você me ama até me deixar cega
Mas, depois, você me decepciona
Quando olho à minha volta, você não está por perto
Pare de me afastar, eu só quero ficar
Há algo que tenho de dizer
Tente entender eu dei tudo o que podia
Porque você levou o melhor de mim
Continue a me provocar
Continue a provocar meu amor
Venha amor
Venha querido
Yeah!

"Não tente me fazer parar eu não preciso tomar fôlego, posso seguir sem parar"


Sonhava ser tudo...
Queria ser o que não sou.
As cores vivas que não sei.
País felicidade que procuro...
Das estrelas a luz alucinante.
Do sol à claridade do branco...
Ensinando a lua a órbita das constelações...
Mais onde estou e o que sou, o que faço aqui?
Serei o mundo inabalável ou os versáteis caminhos?
Procuro-me e perco-me por descaminhos... Mais um dia serei...
Um mar de alegrias...
Ondas de euforias...
Luz da felicidade, o vôo da liberdade... Vou andar em companhia...
Sim com a paz andarei... E serei...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

"Road to perdition"


Você é a minha estrada...
Tímida
Alegre
Divertida
Brincalhona
Corajosa
Submissa(?)
Persuasiva
Sensível
Exigente
Delicada
Questionadora
Transbordante
Contagiante
Maravilhosa
Única
Lutadora
Heroína
Especial
Reivindicadora

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Anjo


Ao som da nossa música pensei em você
Pensei em sua linda forma de ser, mas, não entendo
O seu sorriso, sua voz, sua timidez, seu sim seu não.
Persegui seus confusos pensamentos trancados em ti.
No silencio dos teus sonhos busquei tua alma, teu intimo,
Na intuição quis conhecer tua existência, por esconder-se de mim...
Neste percurso calado, suave como uma sinfonia te conheci,
Amei-te na forma mais pura, madura, adulta e estranhamente infantil.
Fiz frases poéticas, líricas, como uma forma de encontro,
Traduzir meu sentimento em intensa e sublime literatura,
E você nem percebeu, como perolas atiradas ao vento...
Depois de tudo e por tudo, de sempre querer-te, espero-te...
Quando desgastada pelo tempo, chegar da sua longa caminhada...
De o teu chegar cansado, pensando encontrar decepções...
Permita-me ser o teu alivio teu descanso, proporcionar-lhe o prazer
Mais ardente, alucinante, transbordando pelo teu ser, teu corpo.
Hoje... Amargo desejo de te querer quando te busco em mim,
Como um nada depois de tudo, em meio à vida perdi você...
Mais não me perdi,quem sabe um encontro casual...
Em algum lugar, ou em algum dia.

domingo, 27 de junho de 2010

Troque o Evie pelo seu nome.



Johnny Mathis
Composição: Jimmy Webb.

(LETRA)
Por que tem que ser assim?
Por que você me deixou tão cedo?
Hoje eu tenho lágrimas como o rio...
Fostes embora sem despedir-se...
Machucaste meu coração...
Pouco tempo tivemos...
Não foi suficiente...
Vivo das poucas recordações que tu deixaste,
Guardadas estão como pedras preciosas.
Nunca te esquecerei...
Amar-te como eu te amo...
Nas manhas ensolaradas em céus azuis,
No mar, em dias tão quentes como nosso amor...
Me desperto cada dia pensando nos momentos...
Meu corpo, meu coração ficou vazio, mais não estou triste por isso...
Nas lembranças sempre estarás comigo...
A vida é assim... Pessoas que amamos se vão (cedo) deixando saudades...
Amo-te.

sábado, 26 de junho de 2010

"Hoje é o dia (hoje é a noite)"


Hoje é um novo dia, um novo dia de tentar, de expressar sentimentos, Carinhos, um olhar. Tudo amadurece silenciosamente nas Dificuldades, nos motivos que sufocam a espontaneidade de se dar Por inteiro a alguém. Queremos “aferir” o amor, retribuir na mesma Proporção e ficamos desconfiados se não estamos extrapolando o Limite “combinado”. Falando de mim... Vivo sem me preocupar em ser Feliz, porque a felicidade é estar vivo. Sou cidadão mundo, me moldo Conforme as necessidades, (mantendo coesa a personalidade) coloco Cada parte da vida em seu devido compartimento. Meu hobby Preferido é falar de amor, viver, sofrer, mais morrer de amor... NÃO.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

"Então me liberte ou me aceite."



Let Me Out
Ben's Brother
(LETRA)

Você senta, devaneia, espera e imagina
Você pensa "Talvez seja só eu e estou sendo um tolo"
Você começa acreditar que está amaldiçoado
E você é apenas uma boneca para uma moça cruel
A me alfinetar.
Então me liberte,
Ou me aceite
E me diga como nós
Podemos vencer.
Porque eu quero muito saber
Antes que eu comece
A te esquecer.
Então me ensina. (Me ensina)
Eu preferiria estar vagando com fome e sem teto
A estar aqui no aconchego da derrota silenciosa
Você deveria ser honesta comigo e é cruel
Em vez de ficar se mexendo, desconfortável, no seu assento
E na sua pele...
Quem diria que eu teria força para dizer
"Liberte-me, ou me aceite"?
Mas conforme as palavras vão se formando em minha boca,
Eu quero dizê-las de novo, e de novo, e de novo!
Liberte-me, Ou me aceite (Oh, não!)
E me diga como
Nós podemos vencer.
Oh, não! Eu quero saber!
Antes que eu comece
A te esquecer
Ensina-me.

"E não fique triste por isso"



Cry Me A River
Justin Timberlake
Composição: Justin Timberlake / Timothy Mosley
(LETRA)
Você era o meu sol
Você era a minha terra
Mas você não sabia as maneiras como eu te amava, não
Então você aproveitou a chance
E fez outros planos
Mas eu aposto que você não pensava que iria tudo por água abaixo,
Não Você não precisa dizer o que você fez
Eu já sei, eu descobri através dele
Agora não há mais chances pra você e eu,
Nunca mais vai haver
E não fique triste por isso
Você me disse que me amava
Por que você me deixou, sozinho?
Agora você me diz que precisa de mim
Quando me liga, ao telefone
Garota eu recuso, você deva ter me confundido
Com outro cara
Suas pontes foram queimadas
E agora é a sua vez te chorar
Eu sei o que eles dizem
Que algumas coisas ficam melhores quando não são ditas
Não foi como você disse que só falou com ele, e você sabe disso
(Não aja como se você não soubesse)
Todas essas coisas que as pessoas me contaram
Ficam bagunçando com a minha cabeça
Você deveria ter sido honesta
Talvez você não estivesse tão nervosa
Você não precisa dizer o que você fez
(Não precisa dizer o que fez)
Agora não há mais chances pra você e eu
Nunca mais vai haver
(Sem chances, você e eu)
E não fique triste por isso
Agora você me diz que precisa de mim
Suas pontes foram queimadas, e agora é a sua vez
(É a sua vez)
De chorar
(Vá e sozinha)
Chore-me um rio, garota
O estrago foi feito
Então eu acho que estou indo embora
O estrago foi feito
Então eu acho que estou indo embora
Agora não há mais chances pra você e eu, nunca mais vai haver
(Sem chances, você e eu)
E não fique triste por isso
Chore-me um rio

"Feiticeira...feiticeira..................................................."


Black Magic Woman
Santana
(LETRA)
Eu arranjei uma feiticeira
Sim, eu arranjei uma feiticeira
Ela me deixou tão cego que eu não posso ver
Que ela é uma feiticeira
E está tentando me enlouquecer.
Não me dê às costas, baby
Sim, não me dê às costas, baby
Pare de causar desordens com seus truques
Não me dê às costas, baby
Pode levar as minhas varinhas mágicas
Você lançou um feitiço em mim
Sim, você lançou um feitiço em mim
Você transformou o meu coração em pedra
Eu preciso tanto de você, maldosa feiticeira
Eu não posso te abandonar

quinta-feira, 24 de junho de 2010

"Deixe que eu chore meu cruel destino e que deseje a liberdade"


Nas sombras noturna dos bosques
O olhar passivo avista
Luzes da cidade no horizonte,
Num lugar que tudo esquece,
Deslizando a pena sobre o papel,
Escoam d’alma como um rio
Tinta sob a forma de símbolos.
Legião de pensamentos pululam,
Serpenteando vales e precipícios do Id,
Desenterrando lembranças de outrora,
Rememorando tempos, dando vazão as emoções.
No ímpeto Indaga o Superego:
— O que fizeste tu de tua vida?
— Lutaste, amaste e debalde sofreis?
— Pelo destino foste sentenciado?
Amou sem ser amado...
Na vaga existência deste grão,
Levado a mercê do vento
Por entre dunas desérticas,
Nos áridos lugares destituídos de compaixão,
Em "amores egoístas", machucaste teu coração
Negando a ti recompensa,
Deveras o Superego:
— Assim deixaste de amar?
Quem espontaneamente amou já foi retribuído,
O dom da vida está em dar e não receber,
Pois o amor subsiste em si mesmo,
É força vital a fluir gratuitamente na
Vocação que não depende de ti.
Propõe-te sempre a amar,
E jamais será infeliz.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

As únicas coisas eternas são as nuvens…(Mário Quintana)


Fantasias
José Augusto

(LETRA)
Me chama
Me conta
Me diz
Como vai sua vida
Mas diz a verdade com jeito
Pra não machucar
Engana que sente saudade
Que ainda não me esqueceu
Que seu amor ainda sou eu
Confessa que eu tinha razão
E você estava errada
Disfarça
E não diz que esse outro
Te faz mais feliz
Me engana
Me esconde a verdade
Sonhar é melhor que sofrer
Mente pra mim
Me ajuda a viver
Deixa eu pensar
Que isso tudo é fantasia
Que eu te tenho todo dia
Que eu nunca te perdi
Deixa eu te amar
Hoje muito mais que antes
Pelo menos um instante
Quero ter você aqui

"Essa foi a pílula errada a tomar?"


Eu preciso adivinhar o amanha
Manejar meu coração do passado
Revestir-me da liberdade interior
Abandonar os traumas que ficaram
Que me predem, escravizam-me
Quero a nudez da minha sinceridade
Que penetra nos corredores internos
Não sou um marinheiro a espera de um porto
Quero marujar em águas sem fim,
Preciso do coração livre de amarras,
Do amor, da saudade, das lembranças
Não quero um porto seguro
Eu sou o marinheiro do mar infinito.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

"Preciso de um furacão para salvar todo o sentido que me resta"


No analista ele me perguntou do meu amor,
Se minha atenção era repetitiva e desprovida
De controle, (244 posts em seis meses)
Atuando impulsivamente, talvez alimentasse uma
Dependência psicológica, agindo de forma possessiva.
Percebi que as perguntas tinham a intenção de
Diagnosticar um comportamento de amor patológico,
No qual respondi:
— Dr. Eu nunca a vejo e pouco a conheço, embora eu
Perceba todos seus sentimentos. Sei quando está triste,
Conheço seus medos, traumas, suas inseguranças,
quando baixa auto-estima implora por atenção
Ou carinho, entendo quase tudo.
— Entretanto Doutor, este amor é fictício,
Ocupa apenas minha mente, é irreal.
A única coisa real é a dor.

sábado, 19 de junho de 2010

´"Eu só tenho você"


Saudades...
Ignorado no pensamento...
Reclama a alma,
Viver sem o teu amor,
Quedo-me em tormento...
Na imensa falta,
Da tua fragrância,
Tua voz,
Teu olhar,
Necessito...
Calor do teu corpo,
Enlaço do abraçar...
Eu me dei,
Prá te doar...
Ficou a dor...
Taça doce fel ...
Cansado no deserto,
Com fome e sede de carinho,
Meu corpo insiste,
Quer ficar no seu ninho...
Finda à tarde, caí a noite, solidão...
Nômade destino, perco-me na trilha, ...
Enfermo coração quer ancorar,
No seu porto ilha...
Fica a te gritar...
A procurar...
Nas lembranças...
Nos espaços vagos onde te perdeu...

Um dia por eternidade...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Por que amar dói tanto?



Composição: John Lennon / Paul Mc Cartney
(LETRA)
"Foi tanto que eu te amei
E não sabia
Que pouco a pouco eu
Eu te perdia
Eu te amo
E aquele louco amor
Inesquecível
Tirar do coração
É impossível
Eu te amo
Te amei demais
Enlouqueci
Brigas banais
Te perdi
O tempo já passou
E eu não consigo
Calar meu coração
E às vezes digo : Eu te amo"