domingo, 14 de novembro de 2010

"Você me mostra como profundamente o amor pode ser"


No vazio da paisagem silencia a alma
Profunda noite que beira o abismo
Extingui-se dos olhos o brilho de outrora
Cansada, o coração almejava repouso
Tanto amor plantou ceifou saudades...
Esmaga a altitude no rarefeito ar
Feridas ardem no calor escondidas
Toma do cálice amargo um trago
Prevalece o sentimento nas origens
Escrita na memória dos teus dias
Rende-se a luta, entrega-se a desilusão
Dói como dor de parto no deserto...
Esquecida assim que nasce o filho
Entre campos e florestas infindas
Aceita resignada o destino...

6 comentários:

  1. "Feridas ardem no calor escondidas"

    Grande verdade...

    Abraço-te!

    ResponderExcluir
  2. muito bonito o texto, apesar de triste...
    o amor sentido.

    um bom feriado pra vc, amigo!
    abraços

    ResponderExcluir
  3. Esta canção é linda!
    Um beijo e um mimo pra vc, amigo.

    Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo (...).


    O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.


    A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.


    Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.


    Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.


    A felicidade é amor, só isto.
    Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito.
    Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
    O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
    O amor não quer possuir.
    O amor quer somente amar.

    Do Amor - Hermann Hesse.

    Bom feriado
    Renata

    ResponderExcluir
  4. E aceita resignada o destino...

    "Silencia a alma
    prevalece com o sentimento nas origens
    Rende-se à luta
    E aceita a desilusão"

    Aceita a tristeza, as agruras da vida, a solidão

    Triste o destino
    Belo o poema!

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
  5. Aceitar resignada o destino as vezes e muito dificil...muito mesmo

    ResponderExcluir